Volte ao SPIN

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Músicos pretos independentes da BA


Resultado de imagem para musicos negros


Exposição fotográfica homenageia músicos negros baianos independentes
Mostra é aberta em novembro, no Visca Sabor & Arte, que também recebe todas as terças-feiras do mês os pocket shows dos artistas fotografados

Foto: Débora Monteiro/Divulgação

Dão é um dos músicos fotografados na "MPB - Música Preta Baiana"
Em todo o mês de novembro, o Visca Sabor & Arte, no Rio Vermelho, vai exibir uma exposição fotográfica em homenagem aos artistas negros independentes da música contemporânea da Bahia.


A abertura da mostra “MPB – Música Preta Baiana”, da fotógrafa Débora Monteiro, vai ser no dia 1º de novembro, às 19h, com entrada franca.

Como parte do projeto, os músicos fotografados por Débora farão pocket shows em todas as terças-feiras de novembro, também com entrada gratuita. Cinco artistas se apresentam em cada noite.

Entre os músicos estão Larissa Luz, Dão, Flávio Assis, Mariella Santiago, Soraia Drummond, Jorge Hilton, Manuela Rodrigues, Peu Meurray e Afro Jhow.

Para Débora Monteiro, o projeto celebra o som e a imagem da cultura afrodescendente baiana.

A exposição fica aberta para visitação do 1º ao dia 30 de novembro, no Visca Sabor & Arte, sempre das 18h às 2h, de terça a domingo, com entrada gratuita.

https://leiamais.ba/2012/10/24/exposicao-homenageia-musicos-negros-baianos-independentes


Música: artistas pretos, ou seja, da pele de cor negra ou, dentro de uma escala, verde



Vinícius Dblack

Vinícius Cardoso de Abreu, mais conhecido como Vinícius DBlack é um  cantor e ator  brasileiro , nascido em 14 de dezembro de 1984 , Jacarepaguá, Rio de Janeiro, Rj. ,


Saiba mais

https://musicalleizer.com.br/musicos-negros-de-sucesso/


ou


http://www.digaoutrascoisas.com.br/2017/05/cantores-negros-brasileiros-da.html


sexta-feira, 18 de maio de 2018

Hermeto Pascoal tirava som de tudo

Hermeto

https://www.facebook.com/events/203517120212056/permalink/234362850460816/



Renato De Cara compartilhou uma publicação.
Bom dia Hermeto!


35.020 visualizações
FRUE para エルメート・パスコアール・ジャパンツアー(熊本、大阪、東京)
食卓でも音楽が奏でられる。だいぶ、お行儀悪いですけども。

A música é tocada na mesa. Lamento muito, mas sinto muito.

Comentários
Marina Ayra que demais 
Gerenciar


Responder17 h
Graziela Ferreira de Azevedo Uma vez vi um show dele no Tuca da nossa época nos 80, saiu do palco e o povo atrás (como ele adora ) demos a volta no quarteirão e voltamos para dentro do teatro. Toca tudo e todos.
Gerenciar


Responder10 hEditado
Renato De Cara eu tb vi!

domingo, 17 de abril de 2011

Música eletrônica

Por raq_uel, no LNO

Podíamos falar mais de música eletrônica aqui no blog, não?

Tem muita coisa boa que vai além do bate-estaca.

Então, para ínicio de conversa, vou começar com o estilo que trouxe os sintetizadores para a música pop lá no início dos anos 80 : O synthpop ou pop de sintetizadores.

"Synthpop é um estilo de música em que os teclados e sintetizadores são os instrumentos musicais dominantes. É considerado por muitos como a junção máxima da música eletrônicacom o rock, pois diferente de outros grupos de música eletrônica, os compositores de synth-pop (e também de rock industrial) seguem o mesmo ritmo e atuação de uma "banda" comum de rock, tendo os seus fãs devotos, lançando singles, álbuns, se apresentando ao vivo, e fazendo performances com os intrumentos padrões de uma banda: guitarra, baixo, bateria, entre outros.

Eletroacústico. Por uma história

Por Luciano Carôso, Salvador-Ba, via Overmundo




O Background Musical

Quando J. S. Bach compôs o Cravo Bem Temperado, promoveu, de certa forma, a efetivação de uma tendência da época: a "equivalência" entre as notas sustenidas e bemolizadas. Assim, essa estrutura de sonoridade foi cristalizada e reafirmada por toda a música ocidental nos quase quatrocentos anos subsequentes. No final do século XIX a melodia cromática anunciada pela flauta em Prélude à l'Après-Midi d'un Faune de Claude Debussy, sugerindo uma substancial instabilidade da tonalidade diatônica (maior-menor), prenuncia uma nova era musical onde as velhas relações harmônicas já não têm caráter imperativo. Schönberg e seus discípulos tratam de concretizar de forma radical a desvinculação do sistema tonal iniciada por Debussy, com o uso sistematizado dos doze sons da escala cromática, que ficou conhecido como dodecafonismo.

domingo, 10 de abril de 2011

O fim da era Minczuk na OSB - II



A OSB fica no RJ e a OSESP em SP

Mas Minczuck criou confusão nas duas, vamos a um breve histórico



1996 - o maestro John Neschling era anunciado como regente titular e diretor artístico da Osesp, com o objetivo de reconstruir o grupo.

2001 - após desentendimentos com o maestro Minczuk, na época diretor artístico adjunto, oito músicos, entre eles representantes da orquestra, são demitidos por Neschling.

2004 - Roberto Minczuk é escolhido pelo governo para dirigir o Festival de Campos do Jordão. Começava, nos bastidores, o desentendimento entre ele e Neschling, fazendo com que Minczuk deixasse a orquestra um ano depois.

sábado, 9 de abril de 2011

O fim da era Minczuk na OSB - I

 Por Luis Nassif, no LNO

Não adianta Eleazar de Carvalho e David Zylbertjein insistirem: acabou a era Minczuk na Orquestra Sinfônica Brasileira. Acabou. E se não tomarem atitudes claras, em pouco tempo poderão entrar para a história como a mais desastrada diretoria da história da FOSB.

A esta altura, nem adianta analisar se havia músicos acomodados ou não, se houve excesso de corporativismo, nem prorrogar a agonia da OSB para não admitir a derrota. A FOSB errou flagrantemente na estratégia adotada e perdeu o jogo.

Foi um erro coletivo da direção da FOSB. Eleazar e David não entenderam os novos tempos, não passaram a Minczuk princípios básicos de gestão moderna, dos quais o mais relevante é: antes de qualquer ação dástica, procure conquistar corações e mentes de sua equipe.